Parque Nacional da Ilha Grande

O Parque Nacional de Ilha Grande é uma unidade de conservação brasileira de proteção integral à natureza. Em seu território estão os municípios de: Guaíra, Altônia, São Jorge do Patrocínio, Alto Paraíso e Icaraíma, no Paraná – Mundo Novo, Eldorado, Naviraí e Itaqueraí, no Mato Grosso do Sul.

O Parque Nacional de Ilha Grande um labirinto de canais, ilhas e lagoas, formado pelo Rio Paraná em uma área de 78.875 hectares, devido a uma iniciativa do Instituto Ambiental do Paraná, desenvolvida pelo IBAMA, e contando com o apoio do Consórcio Intermunicipal para a Conservação do Rio Paraná e Áreas de Influência (Coripa).

O Arquipélago de Ilha Grande é constituído por ilhas e ilhotas fluviais, estende-se desde o Município de Guaíra até a foz do Rio Amambaí, no Mato Grosso do Sul, e o Rio Ivaí, no Paraná e encontra-se no último trecho livre de represamento do Rio Paraná, em território brasileiro.

A vegetação da planície conta com mais de 450 espécies identificadas, essa vegetação abriga espécies raras. O ecossistema também abriga animais silvestres ameaçados de extinção. A diversidade de fauna e flora costuma ser comparada ao Pantanal Matogrossense.

Fauna: Possui várias espécies endêmicas e/ou ameaçadas de extinção. Dentre a fauna terrestre foram registradas espécies como o cervo-do-pantanal (Blastocelus Dichotomus), o jacaré-do-papo-amarelo (Caiman Latorostris), a onça-pintada (panthera onça), a anta (Tapirus terestris) e o tamanduá-bandeira (Myrmecophata trydoctyla). Da fauna aquática podemos citar: pintado (Pseudoplatystoma corruscans), jaú (paulicéia luetkeni), armado (Pterodoras granulosos), dourado (salminus maxillosus), pacu (piractus mesopotamicus); e da avifauna cita-se: jaburu (Jabiru mycteria), jaó (Cryptrellus undulatus), mutum (Crax fasciolata), colheiro (Jaia ajaja) e jacanâ (Jacana jacana).

No interior do Parque existem praias com infraestrutura rústica. As ilhas maiores contam com trilhas. Os passeios de barco são excelente opção de lazer. O grande mérito da criação do Parque Nacional da Ilha Grande foi garantir a proteção de um ecossistema complexo de extrema importância e fragilidade ambiental. Sua preservação é uma luta de longa data dos ambientalistas do noroeste paranaense.

Locais  com receptivos: Lagoa Xambrê, Porto Camargo, Porto Figueira, Praia do Pacaraí, Vila Yara

Proteção Ambiental
As propostas de proteção ambiental da região datam do século passado. A região é caracterizada pela existência de sítios históricos e arqueológicos de excepcional relevância para a compreensão da ocupação humana no sul do Continente Americano, incluindo-se as áreas de ocupação dos índios Xetá, considerados extintos, reduções e cidades jesuíticas (índios Guarani) que remontam ao Século XVII, insuficientemente estudados e carentes de proteção. O Parque Nacional Ilha Grande foi criado em 30 de setembro de1997, devido a uma iniciativa do Instituto Ambiental do Paraná, desenvolvida pelo IBAMA, e contando com o apoio do Consórcio Intermunicipal para a Conservação do Rio Paraná e Áreas de Influência (Coripa). Paralelamente a estes esforços, pesquisadores da Universidade Estadual de Maringá propuseram o reconhecimento pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), de Reserva da Biosfera, com área núcleo entre a foz dos Rios Ivinhema e Amambaí. Mesmo antes dessa ação, vários procedimentos para proteger o meio ambiente já haviam começado. O nome da unidade foi escolhido levando em consideração o mais significativo acidente geográfico da região, no caso a Ilha Grande ou de Sete Quedas. Certamente é um lugar único no mundo, e que conta com algumas espécies em extinção, além de um ecossistema diferenciado.